segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Sector 17 - 20ª jornada









Derby é derby, e não seria derby sem muita emoção à mistura. Vamos por partes.

Benfica entrou forte no jogo como seria de esperar, com apenas uma alteração: Carlos Martins no lugar de Aimar. Uma equipa motivada pelos recentes resultados e com vontade de resolver logo o jogo, mais pressionante e melhor organizada. Até aqui nenhuma surpresa. Disse ao longo do dia que os primeiros minutos deste jogo iam ser fundamentais no resultado final e aos 15 minutos Benfica deu-me razão e inaugurou o marcador através de Sálvio numa jogada provocada pela já habitual pressão alta.

Daqui para a frente pensei que o Benfica fosse partir para uma exibição convincente mas cedo percebi que estava enganado. Não sei se por culpa própria, mas pareceu-me que o Sporting cresceu após o golo e sempre tive a sensação que o empate podia chegar. No entanto, nos restantes 30 minutos da 1ª parte, o grande protagonista foi Soares Dias. Começou a distribuir cartões como se não houvesse segunda parte (e para o Sidnei não houve mesmo). Os jogadores não facilitaram e não perceberam que o critério estava apertado. Nada a dizer da expulsão apesar de tudo...

Para a 2ª parte e a jogar com 10, Jorge Jesus fez entrar Jardel para o lugar de Saviola e repetiu a receita que bom resultado deu no Dragão. Abdicou da posse de bola e deu a iniciativa de jogo ao Sporting com a tentativa de explorar o contra-ataque com 3 homens na frente, Cardozo mais fixo, Sálvio e Gaitan nas alas. O Sporting não forçava muito o andamento e o Benfica entrou muito sereno para os restantes 45 minutos.

O minuto 60 é para mim o momento do jogo: Matias rompe pela defesa do Benfica e Roberto com excelente reflexos faz a defesa da noite segurando os 3 pontos. Essa defesa ainda se torna mais épica, quando na jogada seguinte, na sequência de um livre de Carlos Martins, Gaitán mata o jogo e leva os benfiquistas ao delirio...

Logo a seguir Jesus, muito bem, coloca Airton para ajudar Javi Garcia na luta à frente da defesa e partir daqui não há mais Sporting. Foras de jogo em catadupa e incontáveis bolas pela linha de fundo.

Quinta-feira há jogo europeu e espero que não se sinta o esforço desta partida. O Estugarda não é tão mau como querem fazer parecer. Equipa competente e com argumentos.

(imagem retirada sem autorização do Arcádia - Abraço Pedro !)

2 comentários:

Pad Durden disse...

Explica-me uma coisa. Porque é que o roberto no jogo com o Estugarda estava a perder tempo e o público assobiava até não conseguir mais e ele continuava como se estivesse muito contente e porque é que ontem, já co um amarelo e o Luisão a desesperar para ele não levar o segundo cartão amarelo ele ainda perdia tempo?

Está a revelar-se um guarda-redes cheio de talento mas imaturo todos os dias. E dá para perceber por estes pequenos pormenores o porquê daquele início de época.

Muito estranho.

Quanto ao resto concordo com tudo menos com a parte do Soares Dias e explico isso na crónica acima, claro.

Dores disse...

Isso ainda e' um mistério para mim.

Contra o Estugarda eu aposto que foi o banco que o mandou perder tempo

Pq é que em 5 pontapés de baliza nos minutos finais ele mete 5 fora, e os 5 no lado direito ? Azar não foi...