segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Man City v Liverpool

Como prometido aqui fica o rescaldo do Man City v Liverpool.

A primeira palavra vai obrivamente para o ambiente. 47 mil a assistir e a gritar. Foi-me dito que os adeptos do City não são os melhores de se ver em Inglaterra e de facto acaba por ser verdade, mas nunca assobiaram a equipa, apoiaram sempre, mesmo quando a equipa, nítidamente, e ao vivo é arrepiante, não joga nada, nada mesmo nada, faz impressão.

Ainda assim um Com'on CITY! Com'on CITY! Com'on CITY! Repetido até à exaustão por toda a gente, é arrepiante!

Da bancada reservada aos Reds vinha um calor humano simpático, com incansáveis cânticos de apoio e por inúmeras vezes, minutos inteiros de aplausos à equipa, fantástico.


Quanto ao City sobrevive de rasgos individuais deste ou daquele e pouco mais. Onze atrás da linha da bola, um adebayor preguiçoso na frente que quando arranca ninguém o pára, mas pressionar está quieto. Daí o meu lamento para o parto prematuro da mulher de Carlitos que o fez voar de urgência à Argentina e não o vi jogar.
Ficam as notas para um Liverpool com muita cabeça, com um guião muito bem estudado, o problema é que pode não ser o melhor guião para os actores que tem. Além disso falta ali alguma raça a alguns elementos.

Jogadores fantásticos:

Irland, joga que nunca mais acaba;

Gerrard apesar de um jogo calminho o poder é evidente;

Lescott é uma força da natureza, assim como Mascherano

E por último, o jogador que mais me impressionou, não surpreendeu porque já lhe reconhecia grande talento e capacidade futebolística, o grande Dirk Kuyt. Detentor de uma capacidade técnica fenomenal, sempre a jogar ao primeiro toque, deixando a defesa adversária sempre ao papeis, com uma raça muito acima da média e muito boa capacidade de leitura de jogo e disponíbilidade para criar espaços para os colegas, é tão evidente durante o jogo, daí ser fenomenal.

PS. Ao vivo esta música tem uma piada desconcertante... Em direcção ao pobre do Benitez todo o mundo a entoar:

"Fat Spanish waiter,
You're just a fat Spanish waiter,
Fat Spanish waiter..."

Brilhante.

5 comentários:

JNF disse...

Por essa música se vê que o humor britânico é qualquer coisa de extraordinário. "Fat Spanhish waiter"... hehehe, ele tem é mais cara de pedófilo.

Little Vinnie disse...

Se fosse Belga era provavelmente o que eles diriam, não sendo fica empregado de mesa espanhol. A justificação que me foi dada é que todos os empregados de mesa espanhóis são gordos!

Como explicação não é das melhores mas pronto, a canção tem piada e de facto ele parece-se com tudo menos com um treinador...

JNF disse...

O que é que eles chamam aos portugueses? :)

Little Vinnie disse...

Eu a eles chamo-lhes muita coisa mas é em português e eles tendem em não perceber. A mim já me chamaram Ronaldo, mas dessa vez levei uma porrada tão grande ou tão pequena que ainda hoje me dói o joelho e já foi há um mês...

Jap Stam chamava eu aquele filho dum roto que me arruinando a carreira de mágico...com a bola nos pés.

JNF disse...

Hein? Conta lá essa história.