terça-feira, 2 de novembro de 2010

Sector 17 - Liga dos Campeões - 4ª jornada

Finalmente voltaram as crónicas, numa noite europeia podia ter sido de glória para o Benfica. Não se percebe como é possivel sofrer 3 golos ridiculos numa segunda parte que deveria ter sido tranquila e de gestão. Continuo a dizer que falta estofo europeu.

Apesar da noite ter começado mal com a noticia da indisposição de Aimar, o que é certo é que o seu substituto, Carlos Martins, foi decisivo na obtenção dos quatro golos.

2 golos de bola parada que mostram como o Benfica trabalha e está forte neste tipo de jogadas. Se em termos de futebol jogado, o rolo compressor tarda em aparecer, as jogadas de laboratório estão a resultar em pleno.

O Benfica apresentou-se no seu esquema táctico habitual com Sálvio na direita e Peixoto na esquerda. O argentino mostrou-se bastante interventivo e com excelentes investidas pela direita, mas o principal motor desta equipa chama-se Fábio Coentrão. Faltam adjectivos para classificar a contribuição deste jogador para a equipa, hoje a bisar na sequência de dois belos contra-ataques. Jogador à Benfica.

A segunda parte deste jogo foi um pesadelo. A partir do momento que Jorge Jesus faz 3 substituições a pensar no jogo do Dragão, o Benfica desaparece. Deixa de conseguir segurar bolas na frente e fica refém das investidas do Lyon que, com o orgulho ferido, nunca desistiu de tentar chegar ao golo. Ao contrário do Benfica que parecia estar com a cabeça sabe-se lá onde.

Este jogo podia ter sido um excelente tónico motivacional para o Dragão e acabou sair uma bela dose de intraquilidade com o ponto alto naquela saída de Roberto...


PS: Dado que tenho andado ausente deste espaço, gostaria de fazer uma referência 'as 5 vitórias consecutivas no campeonato e à boa contribuição de Kardec e Roberto nessa boa marca.

6 comentários:

José Carlos disse...

continuo na minha, o Roberto não é Gr para o Benfica, e o coentrão não é defesa para este campeonato.

Pain disse...

Jesus: Não e' vergonha usar Javi e Airton ok? Aposta nisso. A sério

The Little One disse...

Antes de fazer este comentário fiz questão de ir ver que substituições fez o Jesus. Primeiro porque vi a crítica a esse facto por parte do JNF no seu blog e depois porque, tendo eu visto a primeira parte e ouvido o relato até ao golo do Coentrão, pensei para comigo quando soube o resultado final, mas que raio se passou ali?

E de facto o instinto táctico do Jesus foi reduzido a cinzas a partir do dia de hoje.

O Jesus pensava que estava a jogar contra a Naval, que tirava peças fundamentais enquanto os restantes jogadores vão ficando cansados e que não vai sofrer golo nenhum do Lyon, é isso?

Aqui se vê a diferença de estilo, vontade, petulância e inteligência entre Jesus e Villas-Boas, que contra a Académica não teve o mínimo problema em tirar gente da fente e meter o Otamendi para equilibrar as contas quando o Jorge Costa deu tudo por tudo perto do final. Um pequeno exemplo que, apesar de ser em contextos diferentes, acho que faz toda a diferença.

Do que vi na primeira parte achei que o Benfica demorou a acertar o ritmo mas que depois até conseguiu partir para uma boa exibição mas no fim do jogo, sabendo o resultado final e vendo os golos do Lyon fiquei com a impressão que se deixassem o Lyon repetir o jogo, o Lyon é que tinha dado 4 e muito provavelmente não teria sofrido 3 de seguida.

O Benfica em minha opinião (formada apenas no fim do jogo e não a meio) beneficiou do à vontade do Lyon. Lyon que aparentemente pensou que vinha cá ganhar com uma perna às costas, que marca dois golos em 5 minutos (os anulados) e pensa que está no papo. Não fosse o Lyon ter-se deixado levar pelas facilidades (do jogo anterior e do início deste) e a história tinha sido bem diferente.

Parece-me que as preocupações já muito faladas de jogar com tão poucos jogadores que equilibrem em processo defensivo não acabam mínimamente aqui e que só não estamos a falar delas após mais uma derrota do Benfica para a Champions por muito pouco.

Para bem do futebol Português assim não foi.

PS. O Roberto com excesso de confiança é um cataclismo!!!

Pain disse...

"Parece-me que as preocupações já muito faladas de jogar com tão poucos jogadores que equilibrem em processo defensivo"

Isto é curso nivel 2 inglês ò LFL. Aprende :)

The Little One disse...

Processo Defensivo é requinte!!! :P

JNF disse...

"O Roberto com excesso de confiança é um cataclismo!!!"

Eu diria que "com excesso de confiança" até está a mais nessa frase.